Autor MTW. Data da publicação 25 de Maio.

MTW – Olá Joana, antes de mais obrigada por aceitares o nosso convite para partilhar um bocado da tua história. Pedia-te agora que nos falasses um pouco de ti.

Joana Ramos – Bem, para quem é apontada como “um bocadinho” egocêntrica, é difícil falar de mim quando me pedem. O que consigo dizer, resumidamente, é que sou a Joana, de 32 anos que parecem mentira, dos quais os últimos 12 vividos em Aveiro, designer de profissão e, até há uns meses, poucos dos meus hobbies estavam relacionados com desporto. Ao desenho, ilustração, memes, stand up comedy, artesanato aleatório, futsal, juntei o Crossfit e considero-me, então, uma “caloirinha” desta modalidade. 

MTW – Qual foi o teu 1º contacto com o Crossfit e porque é que continuaste a praticar? 

J.R – Muitos dos meus amigos já praticavam e falavam constantemente sobre Crossfit (ahahah claro), mas só quando fui assistir aos Face2face Games, é que achei que afinal até poderia gostar da modalidade. Assim foi mais fácil responder ao desafio de começar a ir às aulas do meu ginásio, onde já tinha mais de 400 horas acumuladas para gastar. Nos últimos tempos chegava a ir 5  a 6 vezes por semana, coisa impensável há uns anos.

MTW – Qual foi o impacto do Crossfit na tua vida e o que pretendes alcançar com  a prática desta modalidade? 

J.R – O impacto está essencialmente relacionado com saúde física e mental. Como asmática noto melhorias relevantes a nível respiratório e de resistência. Os meus bracinhos de flamingo também estão finalmente a ganhar alguma forma e adormeço mais facilmente em dias de treino. Estou bastante satisfeita por finalmente ter encontrado uma modalidade que me motiva, ao notar pequenos progressos treino após treino, e pretendo passar a levar isto cada vez mais a sério para ver até onde consigo ir.

MTW – Ainda no contexto de Crossfit, se pudesses falar com o génio de Aladino, quais seriam  os 3 pedidos que lhe fazias? 

J.R – Ná, não pediria o desejo de conseguir executar já os movimentos mais difíceis, isso tiraria o desafio de ir escalando até atingir. Talvez pedisse só um desejo mais pessoal tipo nunca me lesionar, e outros desejos mais globais, como as misses, por exemplo maior acesso à modalidade em zonas menos favorecidas e menos desperdício de magnésio. 

MTW – Em que é que resulta a fusão Crossfit-Comédia? 

J.R – Acho que no meu caso, essas duas actividades se ajudam uma à outra, até. A perspectiva humorística serve de espécie de bengala para lidar com algumas frustrações. Sei que os meus falhanços, além de aprendizagem, também podem servir para contar uma história, e realmente dá para recolher do Crossfit muito material para texto de Stand Up Comedy, sim senhor. Juntando também a ilustração ao esquema Crossfit-Comédia, cheguei mesmo a criar uma personagem, o Crosspito, um franguinho frágil que se juntou ao Crossfit, e que vai evoluir.

Joana Ramos no Stand-up Comedy do NOS Alive

MTW: Qual a importância que dás à tua alimentação e à prática de Crossfit para o teu estilo de vida?  

J.R – Honestamente, não tenho especiais cuidados com a alimentação, fico até irritada quando se fala demasiado disso à minha volta.  Pertenço ao grupo “alimentação variada”, já que tenho a sorte de ser boa boca, e faço várias refeições ao dia, não ficando muitas horas sem comer. Mas ainda bem que perguntas, porque gosto de me tornar melhor a muitos níveis, então vou apontar para não me esquecer desse também, mas sem me tornar chatinha.

MTW: Quais foram as tuas maiores conquistas até ao momento? 

J.R – As minhas maiores conquistas até ao momento, passam por diminuição da vergonha, ter conseguido parar de chorar de frustração nas aulas de crossfit, ao fim de 2/3 semanas não ter desistido e, ainda que não pareça, o aumento da concentração e foco nos movimentos e nas instruções verbais, já que a minha mente de designer-humorista tende a levar muita coisa para o obsceno. Repara como me estou a despistar da culpa. É a mente, não sou eu. Também fiquei muito contente com a minha proeza de 4 double unders seguidos. 

MTW: Que conselhos dás às pessoas que não praticam nada (ou à Joana que não praticava exercício)? 

J.R – É ir. Experimentar. Começar por algum lado e não adiar. Vai doer, física e mentalmente, mas mais vale que seja agora, porque amanhã podes ficar de quarentena.

Muito obrigada Joana, por partilhares um pouco de ti connosco. Desejamos-te tudo de bom e excelentes progressos no CrossFit. Até uma próxima!

Gostaste de conhecer a Joana Ramos? Partilha a tua opinião. 

Podes seguir a Joana no Instagram, Twitter e Facebook.


Segue-nos!

1 thought on “Joana Ramos | Designer, Comediante e Crossfitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Name