Autor Francisca Barros. Data da publicação 10 de novembro.

Já deves ter passado várias vezes por uma fase em que sentes que não vais a lado nenhum – que estás estagnado, por mais que treines e pratiques a técnica, experimentes diversos métodos, “vás ao bruxo”, não sais do mesmo sítio por nada. 

Eu também, faz parte! 

Sinto que é algo natural, à medida que ficamos mais eficientes e bons nos nossos treinos e movimentos, estes tornam-se  mais frequentes dada a dificuldade lógica de melhoria. 

As melhorias não são constantes, muito menos funções crescentes ou exponenciais. 

O crescimento é algo que se vai constituindo, por partes. Degrau-a-degrau – ouviste de certeza isto vezes sem conta. Mas é a mais pura das verdades. Vamos subindo os degraus, devagar, e vendo o progresso. Contudo, temos que ser cautelosos, não podemos dar um passo maior daquilo que somos capazes – quanto mais alto estamos, maior será queda. Do mesmo modo, por vezes, por alguma razão externa incontrolável que nos afeta ou, na pior das hipóteses, uma lesão, somos obrigados a descer alguns degraus. Faz parte, temos que saber lidar com quedas e subidas. 

Pessoalmente, as alturas em que sinto que estou estagnada ou, no limite, a regredir, são alturas em que estou menos motivada para tudo. Ou porque tenho demasiada pressão em cima de mim, porque estou estressada com a minha carga de trabalho, ou porque algo de menos bom ocorreu na minha vida. Entrar num ciclo de negatividade, frequentemente, faz com que duvidemos de nós próprios e, consequentemente, sintamos que os nossos treinos não rendem nessas alturas (e podem, efetivamente, não render). 

Nestas alturas, essencial será manter a calma e tentar abstrair-nos de toda a negatividade que nos possa estar a afetar – seja advinda de fatores externos ou de fatores internos (a meditação pode ajudar, neste caso). 

Mudar o mindset de “estou num sprint” para “isto é uma maratona… que dura anos” poderá ser a chave para que não nos deixemos ir abaixo nestes momentos. 

Achar que estamos estagnados, ou a regredir, vai ser algo que nos passara pela mente – a uns mais vezes do que a outros. Mas o que devemos ter em mente é que o progresso apenas é linear e crescente no grande esquema das coisas pois, na realidade, é construído aos poucos.

Como diz o ditado popular, “Roma não foi construída em 1 dia”, muito menos o teu progresso. Portanto, continua no teu caminho que, eventualmente, verás que se tratou apenas de uma fase menos boa e está tudo sob controlo! 🙂


Segue-nos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Name